As relações sociais entre Estado e autores na produção de livros didáticos

Manoel Ayusso Martins

Resumo


Observando-se em que medida os princípios de valorização da história dos afro-brasileiros, enunciados na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais (DCNERER), são veiculados em livros didáticos de História (8º ano), analisa-se as relações sociais legitimadas pelas coleções e a natureza da mudança do discurso produzido no Estado. Para tanto, a teoria de Basil Bernstein é utilizada. Os resultados indicam que os princípios veiculados nos livros não correspondem aos enunciados na LDB e nas DCNERERs, evidenciando-se (1) o elevado grau de recontextualização dos princípios oficiais e em direção oposta à valorização da história dos afro-brasileiros, (2) os relativos espaço e autonomia a nível de produção de textos didáticos dos quais os autores gozam, e (3) a relação entre formação acadêmica dos autores e o conteúdo que produziram.


Palavras-chave


Relações Sociais; Livro Didático; Afro-Brasileiros

Texto completo:

PDF


DOI: 10.3895/rtr.v6n0.14729

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 CC-BY

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

_______________________

ISSN: 2525-6475

Indexadores, bases de dados e buscadores: Latindex | ERIH PLUS | Sumarios.org | LivRe - Revistas de acesso livre | Academia.edu | WorldCat | EZB Electronic Journals Library | The WZB Berlin Social Science Center | Universitätsbibliothek Leipzig: Elektronische Zeitschriften | Hochschule Zittau/Görlitz | Elektronische Zeitschriftenbibliothek - Universität Hamburg | Berufsakademie Sachsen: BA Sachsen | Diadorim

Indexador de métricas: Google Acadêmico

ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr