Alfabetização científica no ensino de ciências nos anos iniciais do ensino fundamental: percepções de professores da rede municipal de ensino de Curitiba

Lucimara Fabricio, Alisson Antonio Martins

Resumo


Neste trabalho apresentam-se os resultados de uma pesquisa desenvolvida junto a professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental de escolas públicas de Curitiba, Paraná, na temática da alfabetização científica que, de acordo com Shen (1975), possibilita um maior entendimento público da Ciência e uma desmistificação do conhecimento científico para que as pessoas possam utilizá-los em suas vidas cotidianas. Essas premissas estão sendo contempladas pelo Currículo do Ensino Fundamental – 1º ao 9º ano, Volume IV, referente às Ciências Naturais, da Prefeitura Municipal de Curitiba, que é o documento que orienta o planejamento escolar dos professores de Ciências Naturais das escolas públicas municipais. No entanto, é necessário, para além do que se apresenta no documento oficial, conhecer o que pensam os professores que atuam nessas escolas. Deste modo, esta investigação, de natureza qualitativa e de cunho descritivo e interpretativo, foi norteada pelo seguinte problema de pesquisa: quais são as percepções de professores sobre o processo de ensino-aprendizagem de Ciências Naturais na perspectiva da alfabetização científica? Como percursos metodológicos, foram utilizados questionários (n=45) e entrevistas semiestruturadas (n=10), por meio dos quais se objetivou investigar as percepções de professores sobre o processo de ensino-aprendizagem de Ciências Naturais para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Os resultados da investigação mostraram que a concepção de Ciências das participantes da pesquisa tendeu para a noção de alfabetização científica prática, numa perspectiva de um ensino de Ciências voltado às compreensões básicas da área, tais como o uso dos conceitos científicos no dia a dia e na preservação do meio ambiente; relacionar a aprendizagem de Ciências com as necessidades básicas, como alimentação, saúde e a melhorar a qualidade de vida. As outras proposições do Currículo Municipal, isto é, aquelas relativas a alfabetização científica em suas dimensões cívica e cultural são menos desenvolvidas, havendo uma predominância, portanto, da dimensão prática, enquanto expressão de uma série de fatores, como por exemplo a formação inicial generalista, o modo de organização dos livros didáticos para estes anos de escolaridade, baixa adesão às formações continuadas, entre outros aspectos. Os dados construídos nesta investigação apontam para uma necessidade de se repensar os objetivos e as práticas desenvolvidas no ensino de Ciências nos anos iniciais do Ensino Fundamental, para que seja possível o desenvolvimento de um processo de alfabetização científica e, assim, sejam preenchidas as lacunas que existem na compreensão dessa abordagem. Ressalta-se também, a necessidade de pesquisas e contínuo processo de formação docente como forma de aproximações teórico-metodológicas levando-se em consideração a realidade escolar, suas necessidades e a experiência profissional docente.

Palavras-chave


Ciências da Natureza; Alfabetização científica; Currículo; Ensino-aprendizagem

Texto completo:

PDFA


DOI: 10.3895/actio.v4n3.10610

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 ACTIO: Docência em Ciências

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A ACTIO adota licenciamento  Creative Commons do tipo CC-BY 4.0

Redes Sociais:

facebook                             


                   


ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr