Avaliação do grau de felicidade entre profissionais da área de saúde de um hospital geral de ensino

Ingrid Verônica Pinto Barreiros, Neil Ferreira Novo, José Eduardo Martinez

Resumo


OBJETIVO: Comparar o grau de felicidade dos funcionários de enfermagem em relação aos administrativos de um Hospital Geral de Ensino.

MÉTODOS: Utilizou-se o Questionário de Felicidade de Oxford e o Questionário SF-36. Através de estatística foram feitos estudos quantitativos transversais e observacionais que correlacionaram os fatores que influenciam a felicidade. Com a aplicação de um questionário sociodemográfico, os dois grupos, administrativo e enfermagem, foram comparados em relação ao grau de felicidade, sendo correlacionada a felicidade com os domínios do SF 36.

RESULTADOS: Os resultados estatísticos não demonstraram diferença significativa entre os dois grupos. A média do grau de felicidade obtida foi de 4,52 e 4,70, para enfermagem e administrativo respectivamente, de uma escala que vai de 1 a 6, onde 1 é ruim e 6 é ótimo.

CONCLUSÕES: Não houve diferença do grau de felicidade do grupo da enfermagem para o grupo administrativo. Os domínios do SF 36 que mais se correlacionaram com a felicidade foram saúde mental para ambos os grupos e aspectos sociais para enfermagem. Os fatores que mais influenciaram foram: satisfação com o padrão de vida, convívio social, ter amigos próximos ou de infância, acreditar em Deus e em algo além desta vida. E o fator que menos influenciou foi a prática de ações sociais.


Palavras-chave


Felicidade; Qualidade de vida; Hospital; Enfermagem; Pessoal administrativo.

Texto completo:

PDF


DOI: 10.3895/rbqv.v8n3.3709

Direitos autorais 2016 CC-BY

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr