Diferença nas condições de saúde de deficientes físicos ativos e sedentários

Juliana Lima Valério, Aline Cristina Carrasco, Andersom Ricardo Fréz

Resumo


OBJETIVO: Avaliar a influência da prática de atividade física nas variáveis qualidade de vida, independência funcional e presença de sintomatologia dolorosa em indivíduos com deficiência física da Associação de Deficientes Físicos de Guarapuava (ADFG).

MÉTODOS: 35 indivíduos com deficiência física foram divididos em dois grupos: ativo (n=14) e sedentário (n=21). A qualidade de vida foi avaliada pela versão abreviado do World Health Organization Quality of Life Instruments (WHOQOL-Bref), a independência funcional pelo Índice de Barthel e a prevalência de sintomas musculoesqueléticos pelo Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares. Todos os indivíduos foram avaliados durante as reuniões da ADFG. Para análise dos resultados utilizou-se o teste t não pareado para as amostras com distribuição normal, e o teste não paramétrico de Mann-Whitney para as amostras com hipótese de normalidade rejeitada. O nível de significância foi estabelecido em p<0,05.

RESULTADOS: Não foram observadas diferenças estatísticas entre os grupos em todas as variáveis avaliadas.

CONCLUSÕES: Para a amostra de deficientes físicos avaliada não foram observadas diferenças significativas na qualidade de vida, independência funcional e presença de sintomatologia dolorosa entre os indivíduos ativos e os sedentários. 


Texto completo:

PDF


DOI: 10.3895/rbqv.v7n3.3115

Direitos autorais 2016 CC-BY

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr