Principais modelos matemáticos de qualidade da água e suas aplicações: uma revisão

Leandro Fleck, Maria Hermínia Ferreira Tavares, Eduardo Eyng

Resumo


Nos últimos anos a qualidade da água dos cursos hídricos tem sido constantemente alterada pela ação antrópica, o que justifica a busca por ferramentas que possibilitem o controle da poluição hídrica. Dentre essas ferramentas os modelos matemáticos de qualidade da água merecem especial destaque, principalmente por possibilitarem a geração de cenários futuros e identificarem fontes poluidoras. Diante disso, o presente artigo tem como objetivo apresentar uma revisão bibliográfica acerca dos principais modelos matemáticos de qualidade da água, enfocando suas aplicações práticas. O modelo matemático de qualidade da água pioneiro é o modelo de Streeter-Phelps, criado no ano de 1925 nos Estados Unidos, com o objetivo de avaliar o comportamento do oxigênio dissolvido, após um curso hídrico ser atingido por uma carga poluente. A partir desse modelo, vários outros modelos com características melhoradas foram criados, como por exemplo: QUAL2E, CE-QUAL-W2, MIKE11, WASP e QUAL-UFMG. É possível encontrar na literatura vários estudos referentes a aplicação da modelagem matemática como ferramenta base para a determinação da qualidade da água de rios, lagos e reservatórios. Diante da variedade de modelos matemáticos disponíveis atualmente, é necessária a correta escolha, verificando qual modelo melhor representa as condições da área em estudo. Dessa forma, a modelagem matemática torna-se uma importante ferramenta de apoio aos gestores públicos no processo de gerenciamento dos recursos hídricos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 CC-BY-NC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr