Remoção de íon cianeto utilizando macrófita aquática Eichhornia Crassipes como adsorvente

Eduardo Borges Lied

Resumo


No presente estudo, a biomassa da macrófita aquática Eichhornia crassipes (aguapé) foi investigada como um adsorvente potencial para a remoção de cianeto livre em meio aquoso. Os efeitos de uma seleção dos parâmetros mais significativos (pH, a dosagem de adsorvente e tempo de contato) foram inicialmente avaliados com base no percentual de cianeto removido de uma solução de Cianeto de Sódio (NaCN). Os melhores resultados mostraram uma remoção de aproximadamente 38%, sob condições de pH 2,0, em concentração inicial de 30 mg L-1 de cianeto, para uma dosagem de adsorvente de 1,5 g L-1 após um tempo de contato de 60 min. A avaliação de equilíbrio demonstrou que o modelo de pseudo-primeira ordem é o que melhor ajustou os dados experimentais, atingindo uma capacidade de adsorção máxima de 1,7 mg g-1. A constante da taxa de adsorção do modelo pseudo-primeira ordem (K1) foi de 1,23 x 10-1 min-1, para uma temperatura de 30ºC. A análise do processo de biossorção de íons cianeto sobre o aguapé sugeriu que o mecanismo predominante seja a interação eletrostática. Assim, a biomassa obtida a partir do aguapé pode ser considerada como um adsorvente eficiente e de baixo custo para a remoção de diferentes águas residuárias contendo o íon cianeto.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 CC-BY-NC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr