Uso de gramínea aquática no tratamento de esgoto doméstico

Carla Daniela Camara, Douglas Felipe Galvao, Deivys Dalpiaz, Giovani Adamante Novelli, Eduardo Eyng

Resumo


Este trabalho teve por objetivo estudar o efeito de fitorremediação da macrófita Urochloa cf. arrecta em esgoto doméstico obtido na Estação de Tratamento de Esgotos do Município de São Miguel do Iguaçu, PR. Para realização do experimento foi construída uma estufa, onde as plantas foram acondicionadas em recipientes plásticos e cultivadas em modo de sistemas alagados construídos, conhecidos como “wetlands”, tendo como substrato o esgoto a ser tratado. O efluente foi retirado antes do desarenador e do decantador da ETE. Após a introdução das plantas, amostras de efluente foram coletadas a cada quinze dias, durante um período de setenta e cinco dias. Foram avaliadas as variáveis pH (potencial hidrogeniônico), turbidez, condutividade elétrica e DQO. De acordo com os resultados pode-se inferir que não houve efeito das plantas sobre as variáveis analisadas. Algumas alterações no sistema são sugeridas com objetivo de propiciar melhores condições de funcionamento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 CC-BY-NC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr