Da crítica da América Latina à Améfrica Ladina crítica:para uma genealogia do conhecimento a partir de Lélia González

Mayana Hellen Nunes da Silva

Resumo


Neste artigo busco estabelecer um diálogo entre o pensamento de Lélia Gonzalez (1935-1994), intelectual e feminista afrolatinoamericana com a teoria decolonial proposta por autores latino-americanos como Aníbal Quijano e Maria Lugones. Para isso, realizo uma revisão teórica e bibliográfica sobre a produção destes autores, uma vez que suas perspectivas têm como objetivo trazer à superfície e argumentar como os signos da colonialidade seguem estruturando as relações no sistema-mundo atual, de tal modo que este debate oportunize a ruptura e a  construção de uma epistemologia a partir dos saberes tidos como subalternos, e no caso de Lélia e de Lugones, mais especificamente das mulheres amefricanas (mulheres negras, mulheres indígenas, mulheres não-brancas) em favor de um feminismo afrolatinomericano.

 

 

 


Palavras-chave


Amefricanidade. Colonialidade do poder. Colonialidade de gênero. Feminismo afrolatinoamericano.

Texto completo:

PDF


DOI: 10.3895/cgh.v12n40.9490

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 CC-BY-NC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr