Sonia Guimarães fala aos cadernos de gênero e Tecnologia

Lindamir Salete Casagrande

Resumo


Conhecer a trajetória e a forma de pensar de mulheres que atuam em áreas nas quais elas ainda são minoria é fundamental para que entendamos as lutas, conquistas, desafios, obstáculos, preconceitos que se impõe a elas pelo fato de serem mulheres.

Nesta entrevista teremos a oportunidade de conhecer Sonia Guimarães, mulher negra que ousou estudar física e se inserir como docente no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), instituição de renome nacional e reduto dos homens, tanto como docentes quanto como discente.

Sem dúvidas, a história de Sonia é inspiradora. Revela que o conhecimento e a capacidade intelectual não são suficientes para cessar o preconceito, tanto por ser mulher quanto por ser negra. Sua presença no ITA é uma afronta às pessoas que se consideram superiores por pertencerem ao sexo masculino e serem brancas.

Nos inspiremos em Sonia e nas outras mulheres que tem contribuído com suas lutas, conhecimento e trabalho para mudar o mundo. Sigamos unidas e sejamos resistência.


Palavras-chave


Ensino de física; ITA; Preconceito.

Texto completo:

PDF


DOI: 10.3895/cgt.v13n41.10509

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 CC-BY-NC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.
ft_peri

Av. Sete de Setembro, 3165 - Rebouças CEP 80230-901 - Curitiba - PR - Brasil

logo_utfpr